Aconselhamento Pastoral, saiba a verdade!

Aconselhamento pastoral é a atividade que um pastor exerce em seu ministério, com o fim de levar a ovelha de Cristo ao arrependimento e/ou ao entendimento correto de um assunto, situação ou prática.

Independente de quão experiente um cristão seja, ele sempre terá a necessidade de ser aconselhado. Nós necessariamente precisamos uns dos outros para que possamos crescer em santidade e retidão.

Assim como o ferro afia o ferro, o homem afia o seu companheiro.
Provérbios 27:17

O título deste artigo é auto explicativo, mas a verdade é que se você é pastor, presbítero, diácono, obreiro ou até mesmo não tenha um “cargo” eclesiástico, você deve aprender sobre o aconselhamento pastoral. Como crentes no Senhor Jesus, nós somos chamados a ser aconselhadores — embora a função principal seja de um pastor, por ter uma responsabilidade maior sobre a igreja de Cristo.

Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis.
1 Tessalonicenses 5:11

A ação de aconselhamento pastoral é de suma importância, por isso é necessário que seja feita da maneira correta. Se você almeja aconselhar alguém, deve entender que isso deve ser feito biblicamente — não apenas a forma, mas o conselho em si.

Depois de ter falado bastante sobre princípios do aconselhamento pastoral, agora darei dicas práticas sobre como aconselhar biblicamente.

Aconselhamento Pastoral


Ouvir no aconselhamento pastoral

Parece óbvio, não é? Mas a verdade é que a maioria ignora esse fato na prática ou não faz o suficiente. Uma certa vez, quando eu era criança, fui ao hospital público da minha cidade, e ao chegar lá, me deparei com uma situação no mínimo intrigante.

O médico perguntou qual era meu sintoma e antes que eu terminasse a frase, ele falou “aqui está a receita médica, tomar esse remédio 3 vezes ao dia”. A minha frustração foi grande. Por mais que o remédio fosse o correto, se eu fosse adulto e tomasse minhas próprias decisões, seria tentado a não tomar o remédio.

O que quis dizer com essa história é que ouvir é importante não só para dar um diagnóstico mais preciso, mas por que também quem está sendo aconselhado, se fechará totalmente para o conselho e pensará “mas ele nem me ouviu e já está falando isso?”.


Não existe padrão no aconselhamento pastoral

Entendo que esse título parece meio que controverso, mas o que realmente quero dizer é que cada caso é um caso, cada pessoa é uma pessoa, e por consequência, cada aconselhamento é único.

Certa vez, um irmão em Cristo e amigo que era professor em uma escola cristã, aplicou uma prova e a maioria dos alunos foram reprovados. A diretora do colégio ao achar estranho, foi averiguar e notou que ele estava usando textos do filósofo e teólogo Jonathan Edwards. O fato é que as crianças não compreendiam os textos, e por esse motivo não conseguiam interpretá-los corretamente.

Antes de falar, adeque sua linguagem e seu tom ao que aquela pessoa precisa. Algumas pessoas não entenderão linguagens técnicas por serem novas na fé, outras só entenderão se falar da maneira mais simples possível e etc. Você como aconselhador, deve falar na linguagem de quem está sendo aconselhado.


Trate a doença não os sintomas

Centenas de milhares de pessoas chegam a gabinetes pastorais ou aos ombros de irmãos cheias de dores a angústias na alma. Quando alguém chega até nós com dores, o mais prático é fazer o que for preciso para que pare de doer ela volte a sorrir, assim como infelizmente o mais intuitivo para um pai é dar um doce ou entregar um celular para o filho só para ele parar de chorar, ao invés de tratar o coração e alma da criança.

Por trás de cada dor, existe uma fonte. E para se livrar disso, é necessário que você procure onde está a fonte do problema. Se um cano estourar em sua casa, o mais prático é colocar um remendo para que pare de vazar — e até funciona. Mas se o problema não foi tratado, então logo esse cano voltará a vazar, caso não seja trocado.

Em um aconselhamento pastoral, procure sempre tratar o coração de quem está aconselhando. As vezes é necessário apenas uma palavra de encorajamento e ânimo, mas muitas vezes, por trás dessa dor existe um pecado ou uma ferida emocional que precisa ser tratada.


Se capacite

É natural que quando nós vamos aconselhar alguém, seja você um pastor ou não, queremos que tudo seja intuitivo e fácil, mas a realidade é que nem todos procuram se capacitar também nessa competência.

O aconselhamento pastoral é algo que precisa ser praticado, mas também é necessário melhorar os conhecimentos sobre o assunto. Também em conjunto, ter fome da palavra de Deus, para possamos não apenas sermos conselheiros, mas conselheiros bíblicos.

A capacitação é fundamental. Busque aprimorar seus conhecimentos nessa competência para que não só seja bom nisso, mas para que possa ser usada de maneira mais excelente nas mãos de Deus.

Como sugestão, caso queira melhorar nisso, basta clicar no botão a baixo onde você será direcionado para o curso Introdução ao Aconselhamento Bíblico. Este curso foi criado pelo Ministério Ler em conjunto com ABCB (Associação de Conselheiros Bíblicos).

Tags: | | | |

Sobre o Autor

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *